Mino: Lula vai às ruas | Conversa Afiada

Mino: Lula vai às ruas
Ele pode, é o único, verdadeiro líder do povo brasileiro, se quiser, encher as praças.

CUIDADO COM ELE

Recado aos senhores: se Lula entrar na briga, vai provar sua condição de líder do povo brasileiro

A situação de caos que o País vive precipita um grande equívoco e duas urgências. Destas, uma investe Dilma Rousseff. Esgota-se o tempo que lhe sobra para tentar rever posturas, orientações, escolhas.

Não esqueço a última vez em que estive com ela, em companhia de Sergio Lirio e André Barrocal, para entrevistá-la às vésperas das últimas eleições. Impressionou-me o isolamento da presidenta sobrepujada pelo álgido cenário fascistoide transplantado para o Trópico no Palácio da Alvorada, enorme redoma de solidão. A outra urgência diz respeito a Lula. O ex-presidente chegou a uma peremptória encruzilhada e tem de escolher a saída que mais lhe convém.

Recordo o dia, mais ou menos recente, em que ouvi de Lula a seguinte frase: “Um presidente considera-se bem-sucedido quando se reelege, e digno da excelência quando elege seu sucessor”. Inviável o impeachment de Dilma sonhado por muitos opositores, é difícil, nas circunstâncias atuais, deixar de imaginar um final melancólico para o segundo mandato da presidenta. Se for assim, ela não fará seu sucessor.

Como observava Mauricio Dias em sua Rosa dos Ventos, na edição passada, faltam para a sucessão quadros potáveis no governo e no PT. Resta mirar em Lula. A própria oposição ajusta a alça. Eis o verdadeiro inimigo, antes de qualquer outro. O que a elite brasileira mais teme é a volta por cima do ex-presidente. O ex-operário, de novo!? Vaias e panelaços que de uns tempos para cá lhe são reservados, além de patéticos, não escondem o medo, e não exagero no emprego da palavra. Resta ver se Lula pretende, ou não, transformar o Brasil em uma infinda Vila Euclydes.

Ele pode, é o único, verdadeiro líder do povo brasileiro, se quiser, enche as praças. Ao longo de dois mandatos realizou avanços importantes, inferiores a meu ver, àqueles que poderia e deveria realizar. Bastou, contudo, para deixar a Presidência com altíssima aprovação, nunca dantes navegada. O que pretende a partir deste momento não está claro. Evidente é sua irritação. Não contemplo somente os comportamentos midiáticos, as acusações de envolvimento em escândalos variados, os apupos do preconceito elitista, como prova seu discurso no evento da CUT promovido em São Paulo dia 1º de maio. De fato, abala-se também a críticas ao governo Dilma, a rigor as primeiras públicas.

Estamos na encruzilhada e o equívoco seria a consequência, a depender da escolha de Lula ao determinar seu caminho. Se decidir, em lugar da aposentadoria, pela disputa do poder, assistiremos a um imperioso retorno à ribalta, mesmo que agora não seja seu objetivo descer à liça em 2018. Quanto ao equívoco, suponho ser geral, da oposição, da chamada elite, da mídia, bem como do PMDB, do próprio PT, e do governo que o partido haveria de sustentar.

Lula tem todas as condições, e mais algumas, de reassumir uma liderança avassaladora, em parte abandonada para deixar espaço a Dilma Rousseff. Quem supõe que, ao sabor do dito petrolão, da tibieza governista e do martelar midiático, Lula esteja encurralado, engana-se além da conta. Quem se ilude, corre o risco de, como se diz, cutucar a fera com vara curta.

O Brasil vai mal, graças a um acúmulo de erros e desmandos, de resto encadeados no decurso das décadas de sorte a se tornarem mal endêmico, mas o jogo, o trágico enredo que entrega o País ao caos, não está encerrado. Diz um antigo provérbio italiano: non destar il cane che dorme. Não desperte o cão que dorme.

Mino: Lula vai às ruas | Conversa Afiada.

Jornalistas Livres e sua escalada contra as narrativas de ódio – Portal Vermelho

Bem vindos Jornalistas Livres!

Neste domingo (24) ocorre, na Praça das Artes, Anhangabaú, grande ato que inaugura a criação da rede Jornalistas Livres, que soma diversos coletivos de mídia livre, artistas, jornalistas independentes, repórteres, editores, fotógrafos e cinegrafistas, empenhados em praticar um jornalismo que se contraponha às narrativas de ódio e o permanente desrespeito aos direitos humanos e sociais no Brasil.

De acordo com informações da rede, esses profissionais de amparam nas seguintes premissas: história de pessoas, denúncia de abusos aos direitos humanos, acompanhamento e fiscalização de políticas públicas, agendamento de debates, pluralidade de fontes, contextualização dos temas abordados, democratização da informação.

Além disso, o elo de unidade da rede é o trabalho colaborativo. O desafio é constituir uma imprensa independente, inclusiva, crítica, pluralista de verdade, desafiadora dos clichês e preconceitos.

Lançamento

A festa do nascimento da Rede Jornalistas Livres será, por isso, também a festa de lançamento de uma campanha de financiamento coletivo. Está previsto a realização de shows, saraus, intervenções, em que celebraremos a união de comunicadores, artistas, intelectuais e movimentos sociais pela construção de uma mídia independente forte e competente. A entrada é gratuita.

Serviço:

ONDE: Praça das Artes – Avenida São João, 281, Anhangabaú
QUANDO: Domingo, 24 de maio de 2015, das 15h às 23h30

Jornalistas Livres e sua escalada contra as narrativas de ódio – Portal Vermelho.

Neil Young lança álbum de protesto contra Monsanto – Portal Vermelho

O álbum é uma parceria entre o músico e o grupo Promise Of The Real, do qual fazem parte Lukas e Micah Nelson, filhos de Willie Nelson.

A luta entre Young e a empresa se arrasta por anos. Em 2014, o músico propôs um boicote aos cafés da rede Starbucks devido à relação entre a companhia e a Monsanto em um processo legal envolvendo o estatuto de utilização de ingredientes geneticamente modificados no estado norte-americano de Vermont.

Young não é o único artista internacional a se manifestar contra a Monsanto. Recentemente o ator Chuck Norris escreveu um artigo contra a empresa alertando a população e governo sobre os danos que o uso dos herbicidas, em especial o glifosato, o ingrediente ativo do herbicida Roundup, fabricado pela Monsanto e mais vendido no mundo, podem causar à saúde global.

Neil Young lança álbum de protesto contra Monsanto – Portal Vermelho.

SUPREMO ABSURDO! UMA JUSTIÇA SEM VENDA,SEM BALANÇA E SÓ COM ESPADA?

SUPREMO ABSURDO! UMA JUSTIÇA SEM VENDA,SEM BALANÇA E SÓ COM ESPADA?

A Ministra Rosa Weber do STF é juíza do trabalho e não criminalista. Ela pediu ajuda ao juiz Moro, que é criminalista, o mesmo da Lava Jato, para escrever o seu voto para condenar José Dirceu no julgamento da AP470 (“mensalão do PT”). Veja abaixo a pérola que foi o voto dela:

”Não tenho prova cabal contra Dirceu – mas vou condená-lo porque a literatura jurídica me permite”.

E no mesmo Jornal do Brasil, Leonardo Boff perguntou:

“Qual literatura jurídica? A dos nazistas ou do notável jurista do nazismo Carl Schmitt? Pode uma juiza do Supremo Tribunal Federal se permitir tal leviandade ético-jurídica?”

(texto reproduzido na íntegra / Jornal do Brasil)

Luíz Müller Blog

Rosa_Boff

A Ministra Rosa Weber do STF é juíza do trabalho e não criminalista. Ela pediu ajuda ao juiz Moro, que é criminalista, o mesmo da Lava Jato, para escrever o seu voto para condenar José Dirceu no julgamento da AP470 (“mensalão do PT”). Veja abaixo a pérola que foi o voto dela:

”Não tenho prova cabal contra Dirceu – mas vou condená-lo porque a literatura jurídica me permite”.

E no mesmo Jornal do Brasil, Leonardo Boff perguntou:

“Qual literatura jurídica? A dos nazistas ou do notável jurista do nazismo Carl Schmitt? Pode uma juiza do Supremo Tribunal Federal se permitir tal leviandade ético-jurídica?”

(texto reproduzido na íntegra / Jornal do Brasil)
Leonardo Boff

Tradicionalmente a Justiça é representada por uma estátua que tem os olhos vendados para simbolizar a imparcialidade e a objetividade; a balança, a ponderação e a equidade; e a espada, a força e a coerção para impor…

View original post 833 more words

Jornal argentino descobre o que sempre soubemos: FHC é um mercenário!

EN BRASIL, EL EX PRESIDENTE CARDOSO REDOBLO SU APOYO A LA OPOSICION VENEZOLANA

Ficha Corrida

Las opiniones de Cardoso son apreciadas por Washington, según los archivos revelados por Wikileaks.

Imagen: EFE

EL MUNDO › EN BRASIL, EL EX PRESIDENTE CARDOSO REDOBLO SU APOYO A LA OPOSICION VENEZOLANA

La diplomacia paralela no descansa

Lilian Tintori y Mitzy Capriles, esposas de los opositores presos López y Ledezma, fueron recibidas por Cardoso, quien se comprometió a visitar Venezuela. Para los socialdemócratas es urgente erradicar la política “ideológica y bolivariana”.

Por Darío Pignotti

Página/12 En Brasil

Desde Brasilia

De San Pablo a Nueva York, con la atención puesta en Caracas. El ex presidente y efímero ex canciller Fernando Henrique Cardoso ha redoblado su apoyo a la oposición venezolana procesada por instigar a la insurrección armada, sumándose a las presiones encabezadas por el español Felipe González, considerado persona no grata por las autoridades caraqueñas.

Cardoso y González, jefe del gobierno español hasta mediados de los años ’90, integran el Club…

View original post 940 more words